quarta-feira, 22 de maio de 2019

MounQup no Bar Pancho - Report

Bar Pancho 20 de Abril de 2019
Texto e Fotos de Miguel Estima


Existem concertos considerados de celebração, e este concerto da francesa Camille Hédouin, conhecida artisticamente por MounQup - também considerada como a "Bjork da Galiza" - foi exactamente o caso.
De início desconfiei, mas depois de a ver, posso dizer que a adjectivação, se calhar, não é para menos. 
Foi um live act onde foram construídas as estruturas musicais desde o zero. Os elementos que compõem as músicas vão-se somando em forma de loops e sobre estas bases criadas frente ao público, adicionam-se vozes e coros angelicais do mais íntimo ao mais universal.


Foi um concerto de Páscoa que marcou também o inicio do cineclube Maruja.
Esta é só mais uma prova de que no rural e fora dos grandes centros urbanos, pode ser possível criar eventos culturais muito interessantes.



Westway Lab – 2019 - Report

Westway Lab 2019 - Texto e Fotos de Miguel Estima


Chegámos à sexta edição do festival Westway Lab em Guimarães. De todas, a edição mais completa e, de longe, com a programação maior e mais vasta de sempre.
O conceito do Westway, bem mais que um “simples” festival, toca em vários pontos de geografia e de espectros musicais. O evento é dividido em várias componentes, conferências para profissionais da área, promoção de residências artísticas, aposta na criação de sinergias entre artistas nacionais e internacionais, promovendo e incentivando a criação colectiva ao longo de toda a semana.
O resultado final desse trabalho, é apresentado ao público nos primeiros dias, em sessões abertas, na forma de showcases ou mini-concertos.

Les Deuxluxes no Play-Doc - Report

Tui, 6 de Abril de 2019
Reportagem de Miguel Estima


Já é habitual com a chegada da primavera que aconteça o Play-Doc, o festival de cinema documental de Tui.

Este ano estava na sua décima quinta edição e encheu novamente Tui de bons filmes, de boas retrospectivas, sendo um festival a ter em conta na vizinha cidade de Valença.

Como habitualmente a noite de sábado é mais longa e isto porque existe um concerto especial e único. Desta vez foram os canadianos Les Deuxluxes que deram a festa. 
Com muito ritmo e um poderoso rock a banda de Montreal formada por Anna Frances Meyer (voz e guitarra) e Étienne Barry (bateria, guitarra e voz), deram um concerto arrebatador, uma hora de pura adrenalina de um feroz rock’n’roll.


Mais fotos na página de facebook deste blog.

Cave na Sala Radar - Report

Sala Radar - 4 de Abril de 2019
Reportagem de Miguel Estima



Na passada quinta-feira 4 de Abril fechou-se mais um ciclo do #ontheradar. Foram doze propostas para este início do ano de 2019. De todos os géneros, sendo que os Cave elevaram a fasquia para uma exploração sónica sem limites. Os Cave, são krautrock expansivo e infinito.

terça-feira, 14 de maio de 2019

Xose Miguélez – Ontology



Disco apreciado pelo Miguel Estima

Gosto de escrever sobre discos de jazz em dias de chuva, nem sempre isso acontece, mas sinto que o som do disco torna-se distinto quando ouvido em dia solarengo. Estou a escrever sobre um dos mais brilhantes saxofonistas galegos da actualidade, o que torna, qualquer palavra pensada num momento que partilho o que existe entre um suporte físico e aquilo que me envolve. Sentimos ao fim de três temas duas coisas: maturidade e tempo. Maturidade quando se lança um disco como líder. Por vezes leva tempo a cozinhar o disco, e isso tem de ser feito devagar e preferência a serem testadas várias variáveis para solucionar alguns detalhes do tema. E maturidade para seleccionar de tanta pesquisa feita ao longo do tempo, ser materializada da melhor forma no disco. Sentimos uma parte do Xose neste disco, nem sempre é fácil transpor uma parte do músico para a escrita de canções, sentimos a Galiza e um jazz que pertence a zona tão densa de cultura. E saber aproveitar o melhor de tantos factores leva a que Ontology seja um disco para ter em casa para ouvir em dias como o que estou a escrever, que está bom para me sentar no sofá e simplesmente disfrutar do melhor jazz do Xose Miguélez.
O disco é composto por dez temas, todos originais sendo o ultimo um tradicional da tia Amparo. O disco que saiu em Abril deste ano de 2019, teve ainda como músicos Storm Nilson na guitarra, Bem Leifer no contrabaixo, John Kizilarmut na bateria, Peter Schlamb no vibrafone e Matt Otto no saxofone tenor.     

quinta-feira, 11 de abril de 2019

Mano a Mano – Vol. 3



Disco apreciado por Miguel Estima

Os manos Santos sabem bem como conseguir a sonoridade diria (quase) perfeita, para acalmar o nosso interior. São discos destes que colocamos quando precisamos de música melodicamente bem construída e ao mesmo tempo calma, sem grandes agitações. 
Os rapazes sabem disto, sabem como criar ambiente, e isso é mais do que demonstrado neste terceiro disco de originais.
Este disco que virá a luz do dia no próximo dia 16 de Abril é uma clara alegoria a viagens que ambos fizeram, e nesta mistura de doze temas resulta numa mescla entre o Norte a cidade berço de Guimarães, a vida nocturna na madeira, paisagens, sempre muitas paisagens seja da “Cabo Verde” ou uma “Canção de Lá”. 
Mas um discos dos manos, é sempre um disco que nos ajuda a terminar da melhor forma o nosso dia, e sinal disso é um final com “stardust”, um tema que fecha em chave de ouro o melhor de um terceiro disco fantástico.
Para ouvir a qualquer hora e em qualquer lugar, mas sabe muito bem ouvir ao final da tarde, ou início da noite quando queremos relaxar um pouco ao som de uma boa música, de preferência em boa companhia.

Caldo - Caldo



Disco apreciado por Miguel Estima

Desta vez a proposta da Galiza vem de uma formação com nome suculento. Caldo como se diz no norte de Portugal e na Galiza, quer dizer sopa, mas normalmente é uma sopa mais suculenta e bem mais abastecida de conteúdos. E o disco, é o resultado disso. Três amigos que se juntaram e decidiram gravar sete temas: quatro de música tradicional galega, três deles do reportório de Rosa e Aida Garrido, e um fandango da coleção Feijó e ainda três temas originais de Pedro Fariñas.
Todos os temas têm arranjos do colectivo, que tanto é um duo -  Maria Jorge no violino e Pedro Fariñas na guitarra - como pode  ser um Trio quando a Anäis Barbier se lhes junta com a  voz e pandeireta.
O Caldo é isso mesmo, o resultado de que o folk e a música tradicional segue o seu ritmo. Mais restrito, contudo ainda existe que procure perpetuar o legado dos seus antepassados e continuar a difundir o melhor do tradicional galego.
É um disco curto, mas muito bom, de fácil audição e que nos pode fazer muito bem companhia, principalmente na hora do dia que estamos a comer, a evocação ao tradicional e o folk é uma mais valia que deve ser incentivada e motivada a continuar a existir. E são projectos frescos como Caldo que o fazem e muito bem.   

Xacobe Martinéz Antelo Trio – Capturas

Disco apreciado por Miguel Estima


Chegou-me via a modernices do facebook este fantástico novo disco do Xacobe. Já conhecia o Xacobe da banda compostelana Sumrrá, curiosamente tem um trio em nome próprio com quatro discos editados, sendo este o quarto.
Como leader nestes primeiros discos esteve com Pablo Castaño (sax alto), Toño Otero (sax tenor) Marcelino Gaián na guitarra, mas sempre com Max Goméz na bateria. Neste disco conta com Xosé Miguélez no sax tenor.
Sobre o disco que irá sair neste mês de Abril, é um trabalho muito mais elaborado, muito mais maduro, onde está muito claro as raízes e formação jazzística no colectivo, sempre com uma base essencial de um adictivo que poderia apelidar de “boa onda”, porque no jazz, nem todo ele é obscuro e denso, existe um lado de maior liberdade, e dessa maturidade este trio dá um toque muito mais profundo ao jazz, todo ele inspirado em acontecimentos da actualidade. Todos os temas são originais do próprio Xacobe.
Curioso por ouvir ao vivo este novo trio do Xacobe, já que disco soa muitíssimo bem.

sexta-feira, 5 de abril de 2019

Agenda - 8º Aniversário do Núcleo da Região de Aveiro da AJA

O Núcleo da Região de Aveiro da Associação José Afonso celebra o seu 8º ano de actividades com o mote "90 Anos de Zeca. 45 Anos de Abril".
É neste âmbito convida para um concerto, integrado nas comemorações do 25 de Abril, com os amigos - Miguel Calhaz e Rui Oliveira.
Será no dia 13 de Abril de 2019, pelas 21 horas e 30 minutos no Auditório da Associação Cultural Mercado Negro.

A entrada é 8 AJAS, estando os bilhetes disponíveis no Bar do Mercado Negro ( a partir do dia 6 de Abril) ou no próprio dia, no local do concerto.

Esperamos que se juntem a nós, nesta noite de verdadeira celebração da Liberdade.

Agenda - XXI Festival Santos da Casa

Já está a meio a edição 21 do Festival Santos da Casa, até ao dia 13 de Abril ainda há muito boas razões para ir até Coimbra e dar os parabéns ao Fausto da Silva e ao Nuno Ávila, esse verdadeiros guerreiros que lutam pela música portuguesa como ninguém.