quarta-feira, 24 de maio de 2017

O Gajo - Longe do Chão


Lisboeta de gema, João Morais, membro de bandas punk rock como os Gazua (entre outras), fez algures uma inflexão (ou não) e agarrou-se à viola campaniça, tentando musicar a sua cidade.
A esse projecto deu-lhe o nome de "O Gajo", e o seu registo discográfico, leva o nome de "Longe do Chão"
Quando à partida poderemos pensar que a campaniça não tem nada a ver com Lisboa, ao ouvir as malhas que ele construiu, acabamos por ver que "a coisa" faz bastante sentido.
 Na passada semana tive o prazer de o ouvir a explicar a sua música no programa "Indiegente", e a sua conversa com o Nuno Calado é o melhor "cartão de visita" para o disco que poderíamos ter.
Oiçam tudo a partir do minuto 21, eu fiquei encantado com a música e com a conversa, sabe muito bem ouvir rádio assim.
O vídeo de estreia chama-se "Há uma festa  aqui ao lado":

O disco está Excelente!
Fiquem também com a Newsletter:

Agenda - Basorexia Army no Auditório

Basorexia Army - 27 de Maio
Auditório da Associação Cultural Mercado Negro - 22.30h

No sábado vamos ter os Basorexia Army que nos vêm mostrar o seu Electro/Pop/Rock.
As entradas dão direito (limitado ao stock) a um exemplar do seu Cd de estreia.
Vai valer a pena virem conhecê-los!
Não digam que não foram avisados.

Agenda - She is a Girl no Auditório

She is a Girl - Dia 26 de Maio
Auditório da Associação Cultural Mercado Negro - 22.30h
É já sexta-feira, dia 26 de Maio que os She is a Girl vêm até ao Auditório da Associação Cultural Mercado Negro, brindar-nos com o seu Indie Rock.
As entradas não são gratuitas, mas vai valer a pena pagar (menos que o preço de um Gin de marca) para os ver.
Aqui fica uma pequena amostra da sua música, só para vos despertar a curiosidade:

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Rádio Faneca 2017

De 2 a 4 de Junho a Radio Faneca volta a transmitir Alegria.

O alinhamento musical é o seguinte:
Os concertos são gratuitos!

Benjamim e Barnaby Keen editam '1986' a 24 de Maio



'1986', o disco em parceria gravado por Benjamim e o músico britânico Barnaby Keen, é editado digitalmente a 24 de Maio, meses antes do lançamento oficial em vinil. “Dança Com Os Tubarões” e “All I Want” são os novos singles do álbum e, à semelhança de “Warm Blood” e “Terra Firme”, são cantados na língua nativa de cada um dos intérpretes.

‘1986’ é constituído por oito canções escritas e interpretadas por ambos. É um exercício de partilha: Benjamim faz coros em inglês das canções de Barnaby e este empresta o seu sotaque brasileiro quebrado para fazer vozes em português nas canções de Benjamim. Os dois tocam quase tudo nos temas um do outro, escolhendo o melhor das capacidades de cada um, seja no saxofone, no piano ou na bateria.

O álbum foi gravado em duas sessões no estúdio 15A, casa da Pataca Discos e contou com a participação de Sérgio Costa na flauta, Leon de Bretagne no baixo e António Vasconcelos Dias nas vozes.

Os dois músicos, nascidos em 1986, cruzaram-se pela primeira vez em 2012, num cinema de Brixton, no sul de Londres, e selaram amizade a partir do gosto comum por um disco de Chico Buarque. Barnaby Keen viveu no Brasil durante seis meses, onde descobriu o amor pela língua portuguesa e pelos mestres do samba e da bossa nova.

Relativamente aos dois singles, os músicos definem “All I Want” como um tema marcado pelo timbre magnético de Barnaby e por uma batida hipnótica deixada a secar ao sol ao longo de demasiadas horas. “Dança Com Os Tubarões” é a canção solarenga do disco em modo dueto tropical, como se Xabregas fosse o Rio de Janeiro e Lisboa o mundo inteiro. 

A primeira apresentação de '1986' acontece no Festival Músicas do Mundo em Sines, no dia 28 de Julho, com os músicos acompanhados ao vivo por João Correia (bateria), Nuno Lucas (baixo) e António Vasconcelos Dias (bateria).

A data escolhida para esta edição coincide com o aniversário de Benjamim, dando maior simbolismo ao nome do álbum que pode ser ouvido nas plataformas digitais habituais.



MINTA & THE BROOK TROUT EDITAM NOVO EP ROW ...

 .. LANÇAM SLOW EM VINIL E VÃO MOSTRÁ-LOS POR AÍ.

Slow, o terceiro disco de Minta & The Brook Trout e o primeiro com o selo da NorteSul, vai ter reedição em vinil, acompanhada por uma série de novidades.

Depois de um ano bem preenchido, marcado por canções como “I Can’t Handle The Summer” ou “Bangles”, uma série de concertos em Portugal e uma digressão pela Califórnia — na sequência da edição americana, com o selo da Gaylord’s Party Music, de Oakland —, Slow vai agora ao encontro dos amantes de vinil e colecionadores.

Dia 12 de Maio, a rodela preta de Slow vem acompanhada pelas ilustrações originais de José Feitor, que neste formato ganham novo sentido.

Para celebrar esta reedição, a NorteSul disponibiliza um novo EP de Minta & The Brook Trout, em formato digital. Chama-se Row, tem igualmente capa de José Feitor e consiste em 3 canções a meio caminho entre Slow e o próximo disco. Os novos temas - “Tropical Resort”, “So This Has To Do” e “Mild-Mannered Man” - foram escritos por Francisca Cortesão (voz e guitarra) e produzidos em parceria com Mariana Ricardo (voz e baixo), a dupla criativa no centro das operações, e arranjadas em conjunto com o restante elenco de luxo que completa a banda – Bruno Pernadas (guitarra), Margarida Campelo (voz e teclados) e Tomás Sousa (bateria e voz).

O novo EP e a reedição em vinil é pretexto para um novo single de Slow: "In Spain", uma das canções interpretadas ao vivo na recente passagem de Minta & The Brook Trout pelo No Ar, da Antena 3 (que incluiu uma versão inédita de "Walk Like An Egyptian”, das Bangles).

A digressão de Slow continua nesta Primavera com mais concertos, com destaque para a estreia da banda por terras espanholas no UKP Day, o regresso ao Teatro Aveirense e a presença no Super Bock Super Rock, um dos maiores festivais do país.

TOUR COMPLETA

19 de Maio · LISBOA · Festival de Telheiras
26 de Maio · VALE DE CAMBRA · Biblioteca Municipal
27 de Maio · CALDAS DAS TAIPAS · Banhos Velhos
3 de Junho · UKP Day · Ribadavia
22 de Junho · AVEIRO · Teatro Aveirense
8 de Julho · SINTRA · Centro Cultural Olga Cadaval
13 de Julho · LISBOA · Super Bock Super Rock
23 de Julho · VISEU · Festival de Jazz

Agenda - Blind Zero na Fábrica das Ideias

Fábrica das Ideias - 21.30h

Vinte anos de carreira e mais um disco no bolso: os Blind Zero voltaram e vão à Gafanha da Nazaré Há uns meses prometeram novo disco para maio deste ano e, se é verdade ou não, só os Blind Zero podem dizê-lo, já no próximo sábado, na Fábrica das Ideias da Gafanha da Nazaré.
Com vinte anos de carreira e uma legião de fãs que os legitimam, este é o oitavo trabalho de originais da banda nortenha constituída por Miguel Guedes, Nuxo Espinheira, Pedro Guedes, Vasco Espinheira e Bruno Macedo. “Kill Drama II” foi o último disco do grupo, em comemoração dos seus 20 anos de carreira, que incluiu a voz de Sandra Nasic, vocalista dos Guano Apes, no tema “I will take you home”.
Os Blind Zero não foram para casa e prometem, já este sábado, um concerto mais intimista, fruto não só de um disco mais introspectivo, mas também de uma banda que já se tornou madura no rock português.
Os bilhetes custam 10€

Aqui fica um dos vídeos da sua boa carreira:

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Galandum Galundaina em Abrantes - Report

Galandum Galundaina - 13 de Abril - Abrantes
Integrado no "Caminhos do Ferro", ciclo de programação cultural promovido pela Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, calhou, felizmente, a Abrantes o concerto dos Galandum Galundaina.
A Praça Raimundo Soares acolheu-os com menos gente que o desejado, mas os que estavam eram bons. Se dúvidas houvesse, a urgência de semear cultura e criar públicos na região, é deveras notória. Ainda bem que estes municípios se juntaram e decidiram por mãos à obra. Nascido que sou em Abrantes, o meu desejo é que ninguém desista de fazer algo por esta e pelas outras localidades "Médio Tejanas", pois elas precisam disto

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Anaquim na Fábrica das Ideias - Report

Anaquim - 7 de Abril
Fábrica das Ideias - Gafanha da Nazaré

Já não os via ao vivo há alguns anos, mas foi um verdadeiro prazer reencontrá-los em palco e logo no renovado Centro Cultural da Gafanha da Nazaré que se dá agora pelo nome de Fábrica das Ideias.
Com três álbuns e um EP editados e centenas de concertos por este país, estava mesmo a ver-se que iria ser um grande concerto.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Trêsporcento – Território Desconhecido


Há já muito tempo que o terceiro disco, é considerada a “prova de fogo” de qualquer banda, nem sempre a ele chegam e os casos em que nele se saem com distinção, são até um pouco raros. No caso de “Território Desconhecido” posso desde já dizer que os Trêsporcento passam esta prova com distinção.
 Seria muito mais fácil, continuarem a fazer mais do mesmo e, eventualmente, manterem quem já os admira, a segui-los. Mas o que eles fizeram, foi mandar essa “segurança às malvas" e arriscaram.