quarta-feira, 13 de maio de 2009

É o Mercado, Estúpido!

Eu sou daquelas pessoas que até compra discos, principalmente de grupos portugueses, chego até a ser "gozado" por pessoas que já não se lembram da última vez que compraram um CD, mas desde que inventaram as reedições que começo a ficar irritado e com vontade de concordar com quem utiliza regularmente a partilha de ficheiros. É que comprar mais que uma vez o mesmo disco deixa-me um pouco chateado.
Aconteceu-me já algumas vezes, primeiro foi com o álbum "Dou-lhes com a Alma" dos Da Weasel que fizeram uma segunda edição com um disco de extras, depois com o primeiro álbum dos Blind Zero que fizeram uma reedição com temas ao vivo, os Cool Hipnoise repetiram a gracinha com o "Nascer do Soul" e, mais recentemente foi o David Fonseca , a Rita RedShoes, Os Pontos Negros e os Clã, há quem diga que é para cativar o novos mercados.
A mim parece que é um gozo que fazem aos verdadeiros fãs que adquirem os discos logo na primeira hora. Sendo depois traídos por estas reedições que premeiam aqueles que só recentemente conhecem o grupo ou só agora decidiram comprar. Podia ao menos ser facultado o segundo disco ou DVD a preço simbólico para quem já adquiriu o primeiro disco.
Quem diz isto também pode falar do decréssimo dos preços que atinge os CD quando estão muito tempo nas prateleiras sem vender. Se calhar era mais saudável ter os CD a 5 ou 7 euros na semana de lançamento e depois passarem então aos doze ou mais euros a que são normalmente vendidos, assim talvez houvesse mais gente a comprar discos em vez de os piratear.
Não me parece ser esta política de reedições a melhor maneira de apoiar as bandas portuguesas e de cativar os seus verdadeiros fãs. E penso que deviam ser os próprios artistas a evitar este tipo de situações, por respeito a quem os admira e segue.

3 comentários:

joao disse...

Eu por outro lado acho que devem ser os «fãs» a pagar mais caro os trabalhos «artisticos» (friso os «»), já não é um fenómeno novo, as editoras querem o quanto antes recuperar o $ investido na publicação e honorários dos «artistas» (friso outra vez os «»). quem quer ter logo mal o disco sai, paga por isso, quem já conhece o mercado espera um ano ou mais e compra mais barato e com faixas extra.

Joao Nuno Silva disse...

Pois o problema é que qualquer dia ficam todos à espera e depois nem primeira nem segunda edição!

joao disse...

sim, mas vais ver que oa preços descem na mesma, e alem disso não estou muito preocupado com as fortunas dos editores e dos «artistas»

joão