terça-feira, 3 de março de 2009

Piratas ????


Descarreguei recentemente o álbum do New Max que ele disponibiliza gratuitamente no seu site, passei-o para Cd e ficou-me tudo talvez por cerca de 1€. Se por acaso o tivesse comprado numa loja, a coisa ficaria por pouco menos de 15€. Ouvi o próprio artista a defender esta forma de divulgação da sua música, dizendo mais ou menos isto: "o dinheiro que as bandas recebem das editoras é quase irrisório e onde ganham efectivamente dinheiro é tocando ao vivo os seus temas". O disco dele já teve cerca de cinquenta mil downloads, eu tenho a certeza que se estivesse à venda numa loja, ao preço que referi, não venderia nem 10% dos downloads já efectuados. Estas pessoas que "sacaram" o disco e quase de certeza gostaram, provavelmente conhecem pessoas que organizam concertos, festas ou romarias e vão divulgar o New Max e vão fazer força para que o contratem para tocar ao vivo.
Por vezes chamam piratas às pessoas que sacam música da net, mas o que é facto, é que ninguém vai dar mais de dez euros por um disco de uma banda que não conhece e mais, se gostam de muitas bandas, ou não têm dinheiro para todas ou só compram discos das que já conhecem, o que não permite que as novas bandas tenham espaço para aparecer. Além disso, é falsa a idéia que circula dizendo que não existem bandas sem editoras, o New Max e os Radiohead (que permitiram o dowload do seu último disco, pela quantia que o fã quizesse ou pudesse dar e não perderam dinheiro com isso!) também, são o exemplo que as editoras é que não existem sem bandas.Eu espero que estes artistas que permitem o download gratuito e legal das suas músicas tenham uma agenda cheia de concertos para dar e que com isso provem que não precisam dos "piratas" das editoras, para divulgar novos ou velhos valores da música. Para bem das bandas e das carteiras daqueles que, como eu, gostam e consomem muita e boa música.

2 comentários:

toze pedro disse...

Concordo contigo e creio que nunca como agora se viu tantas bandas, velhas ou novas, em digressão e a dar concertos por todo o mundo. E isso, deve-se, sem dúvida, ao acesso aos albuns via web (legais ou não) que permitiram chegar a novos e maiores públicos.

Quanto às editoras, tem sofrido bastante perdas, é certo, mas tal tb é da responsabilidade delas: ao não alterarem a sua política de preço; a resistência e a desconfiança com que encararam as vendas na web, com medo de alimentarem ainda mais as piratarias; ao não removarem estratégias de produto, etc....
Por exemplo, o novo album dos Grizzly Bear em vinil, para além do excelente artwork gráfico (http://www.wilkerton.com/) será vendido no mercado, com um cupão que dará direito ao download gratuito dos temas em alta qualidade.
Comparem também as embalagens dos cd's em relação aos vinis, continuam a ser tão pobrezinhas... eu, quando as contas o permitem, ainda vou comprando alguma música e curiosamente voltei a comprar vinil, mas acabaram os enganos, por causa daquela crítica que dizia muito bem do disco, e o gajo que escrevia até já era apreciado pelos gostos em comum, no entanto... ARRGGHHHHH! lá ficava eu com mais um cd para base de copos!

E agora só para dar espaço ao contraditório, aqui fica um link do nosso velho conhecido, Robert Smith a dizer das suas em relação à estratégia dos Radiohead em ter posto o album In Rainbows à venda na internet, deixando aos compradores a liberdade para escolherem o valor a pagar:

http://network.nationalpost.com/np/blogs/theampersand/archive/2009/02/24/the-cure-s-robert-smith-diagrees-violently-with-radiohead-s-pay-what-you-want-idiot-plan.aspx

pedro ribeiro disse...

Piratas? Querem mais? Legalmente...
Novo album de Corsage, single de avanço, 2 temas, livre e legal!
Em:
http://www.myspace.com/corsage
Pedro Suissas
Aveiro